Sistema FAEB

Bahia terá campanha de prevenção a monilíase em plantação cacaueira

Maior estado produtor de cacau do país, a Bahia terá campanha dedicada à prevenção de Monilíase – fungo que atinge o fruto do cacau e que é capaz de dizimar uma plantação inteira.

A Bahia é responsável por 71% de toda a safra nacional, com a produção de 140 mil toneladas. O crescimento foi o maior desde 2017, com 37%, quando comparado com o ano anterior. Daí a importância de reforçar a prevenção, cuja campanha será lançada na próxima terça-feira (22) pela Secretaria da Agricultura do Estado (Seagri), em parceria com a Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) e a Superintendência do Mapa na Bahia, às 9h30, no auditório da Seagri, no CAB, em Salvador.

Como a monilíase já chegou a uma área do Acre, o governo do Estado da Bahia está reunindo esforços através de suas secretarias, associações, entidades ligadas ao cacau e produtores para que a praga não chegue às lavouras baianas. 

A campanha terá material informativo como folders, selos, além de material voltado para as redes sociais, spots de rádios e vinhetas para aeroporto. As peças são direcionadas a técnicos, produtores e leigos, possui orientações como: não transportar mudas, frutos ou sementes das áreas contaminadas, além das informações de biossegurança para quem for visitar uma fazenda de cacau, proveniente de alguma área infectada, dentre outros.  

No evento de terça, o Governo do Estado também vai divulgar o Sistema de Defesa Agropecuária da Bahia (SIDAB), que integra o projeto de inovação tecnológica da Agência e é resultado de um convênio entre a Adab e a Agrodefesa de Goiás, permitindo um novo marco de inovação tecnológica para a agência baiana. O sistema segue as orientações do MAPA e a tendência de outros estados do país para o desenvolvimento das atividades de defesa sanitária, animal, vegetal, inspeção e fiscalização. 

O SIDAB é uma plataforma de execução de todos os programas de defesa agropecuária da Bahia, muito esperado por todos, desde a classe produtora, até os usuários da Adab. Vai dinamizar a administração do Banco de Dados pela própria Agência, que terá um sistema público e totalmente gerenciável internamente. Agora, além de ter um sistema moderno, interligado com o Ministério da Agricultura, com plataformas e novas tecnologias, a Adab passará a ter domínio próprio de um sistema que será da Agência.

Fonte: Bnews

Posts Relacionados

Deixe um comentário

plugins premium WordPress