Sistema FAEB

CNA e Federações debatem principais pontos da Reforma Tributária aprovada na Câmara

Whats App Image 2023 07 18 at 09 38 37

Tema foi pauta da reunião do GT Econômico, na terça (18)

O Grupo de Trabalho Econômico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) se reuniu, na terça (18), para discutir os detalhes da aprovação da Reforma Tributária (PEC 45/2019) na Câmara dos Deputados e os principais pontos que devem impactar o agro, caso o Senado valide o texto como está.

Na abertura do encontro, o diretor técnico da CNA, Bruno Lucchi, afirmou que há três anos a entidade trabalha para construir uma proposta que minimize os impactos ao setor. “Nosso objetivo sempre foi uma reforma que simplificasse o sistema tributário e não onerasse o produtor rural”, disse.

O coordenador do Núcleo Econômico da Confederação, Renato Conchon, apresentou o contexto da tramitação da Reforma Tributária até a aprovação da matéria, na madrugada do dia 7 de julho, pelos deputados federais.

imagem

Segundo Renato, desde 2019, as discussões têm se intensificado com a apresentação de propostas que tinham como premissa a simplificação da tributação sobre o consumo a partir da unificação de tributos de diferentes competências federais e estaduais.

“A CNA elaborou uma série de estudos econômicos e participou ativamente da agenda legislativa visando aperfeiçoar as diretrizes e o texto das propostas da RT, para que a mudança estrutural do cenário trouxesse alterações importantes para a tributação do país por meio de uma verdadeira simplificação sem aumento da carga”, explicou.

De acordo com Conchon, a CNA e demais entidades representativas do setor trabalharam junto à Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) para que o texto-base da reforma fosse aprovado levando em consideração as demandas do agro.

Veja as mudanças:

imagem

Durante a reunião, o coordenador citou os principais pontos a serem aperfeiçoados no Senado para uma reforma justa para o agro: a elaboração de um estudo econômico para avaliar uma possível necessidade de reduzir a alíquota do setor; a ampliação do limite dos produtores não obrigados ao regime do IVA e a desoneração de imposto de transmissão causa mortis e doação (ITCMD) nos casos de sucessão familiar.

Além da Reforma Tributária, o GT Econômico debateu a importância da regularidade fiscal (pagamento em dia dos tributos) para que o produtor possa exercer suas atividades rurais sem entraves burocráticos e obter crédito para financiamento da sua produção sem maiores restrições.

“Existe uma tendência de aumento no processo de fiscalização sobre o setor. O agro está no radar da Receita Federal há algum tempo, por isso é fundamental o pagamento dos tributos em dia para evitar surpresas, bem como multas e juros altos”, disse Renato.

Assessoria de Comunicação CNA

Telefone: (61) 2109-1419

Posts Relacionados

Deixe um comentário

plugins premium WordPress